Capítulo 02

A Última Mensagem do Buddha

Postado em Atualizado em

“Quando Eu tiver partido, meu Ensinamento será seu Mestre para guiá-los”

Três meses antes de Seu falecimento o Buddha se dirigiu a Seus discípulos e disse: “Tenho dado sermões para vocês durante estes quarenta e cinco anos. Vocês devem aprendê-los e protegê-los bem. Devem praticá-los e ensiná-los aos outros. Eles serão de grande uso para o bem-estar dos que vivem agora e para o bem-estar dos que virão depois de vocês”.

Meus anos estão agora maduros; o que resta de vida é pouco. Logo atingirei parinibbana. Devem ser diligentes. Ó bhikkhus, sejam vigilantes e puros na virtude. Quem trilhar incansavelmente o Ensinamento ultrapassará o ciclo de nascimento e morte e dará um fim ao Sofrimento”.

Quando Ananda perguntou ao Buddha o que seria da Ordem após Sua morte, o Buddha respondeu: “O que a Ordem espera de Mim, Ananda? Tenho ensinado a Verdade sem qualquer distinção; pois em relação à Verdade, não há punho fechado nos Ensinamentos do Buddha… Pode ser, Ananda, que para alguns dentre vocês o pensamento surja: ‘As palavras do Mestre logo perecerão; logo não teremos mais um mestre’. Mas não pensem assim, Ananda. Quando Eu tiver partido, meu Ensinamento e código de disciplina serão seu Mestre”.

O Buddha explicou em seguida: “Se houver qualquer um que pense: ‘Serei eu quem dirigirá a irmandade’ ou ‘A Ordem é dependente de mim, serei eu a dar instruções’, devem saber que o Buddha não pensa que ele deve dirigir a Ordem ou que a Ordem é dependente dele. Cheguei ao fim dos meus dias. Como uma carroça gasta que somente pode se mover com muito cuidado adicional, assim meu corpo somente pode prosseguir com muito cuidado adicional. Dessa forma, Ananda, sejam uma lâmpada e um refúgio para vocês mesmos. Não procurem por outro refúgio. Que a Verdade seja sua lâmpada e seu refúgio. Não procurem refúgio em nenhum outro lugar”.

Na idade de oitenta anos, em Seu aniversário, Ele morreu sem manifestar qualquer poder sobrenatural. Ele mostrou a real natureza das coisas compostas mesmo em Sua própria vida.

Quando o Buddha foi para o Nibbāna, um de Seus discípulos afirmou: “Tudo deve partir – todos os seres que têm vida devem descartar suas formas compostas. Sim, mesmo um Mestre como o Buddha, um ser incomparável, poderoso em Sabedoria e Iluminação, também deve partir”.

‘Appamadena Sampadetha Vaya Dhamma Sankhara’ – ‘Trabalhem diligentemente. As coisas compostas são impermanentes’ – (Maha Parinibbāna Sutta)

Anúncios