A Obra do Buddha

Postado em Atualizado em

O Buddha nasceu para dissipar a escuridão da ignorância e mostrar ao mundo como ser livre do sofrimento

O Buddha foi a corporificação de todas as virtudes que pregou. Durante seu bem sucedido e repleto ministério de 45 anos, Ele traduziu todas as suas palavras em ações. Em nenhum momento jamais mostrou qualquer fragilidade humana ou qualquer paixão baixa. O código moral do Buddha é o mais perfeito que o mundo já conheceu.

Por mais de 25 séculos, milhões de pessoas encontraram inspiração e consolo em Seu Ensinamento. Sua grandeza ainda brilha hoje como um sol que suplanta o brilho de luzes menores. Seus Ensinamentos ainda indicam ao cansado peregrino a segurança e a paz do Nibbana. Nenhuma outra pessoa sacrificou tanto de seu conforto mundano em favor da humanidade sofrente.

O Buddha esteve dentre os primeiros líderes religiosos na história da humanidade que advertiu contra o sacrifício animal por qualquer razão que fosse e que apelou às pessoas para não prejudicarem qualquer criatura viva.

Para o Buddha, a religião não era um acordo contratual entre uma divindade e o homem, mas uma via para a Iluminação. Ele não desejava seguidores com uma fé cega; Ele queria seguidores que pudessem pensar livre e sabiamente, trabalhando para sua própria salvação.

Toda a raça humana foi abençoada com Sua presença. Nunca houve uma ocasião em que o Buddha tivesse expressado qualquer animosidade contra uma pessoa sequer. Nem mesmo aos Seus oponentes e piores inimigos, o Buddha expressou qualquer animosidade. Existiram algumas mentes preconceituosas que se voltaram contra o Buddha e tentaram matá-Lo; ainda assim, o Buddha nunca os tratou como inimigos. O Buddha disse certa vez: “Como um elefante no campo de batalha aguenta as flechas que são atiradas contra ele, assim Eu aguento os abusos e expressões não amigáveis dos outros (Dhammapada, 320)”.

Nos anais da história, nenhum homem é relatado como tendo se consagrado tanto ao bem estar de todos os seres vivos como fez o Buddha. Desde a hora de Sua Iluminação até o final de Sua vida, Ele se esforçou incansavelmente para elevar a humanidade. Ele dormia apenas duas horas por dia. Ainda que 25 séculos tenham passado desde a morte desse grande Professor, Sua mensagem de amor e sabedoria ainda existe em sua pureza pristina. Essa mensagem ainda influencia decisivamente os destinos da humanidade. Ele foi o mais Compassivo que iluminou este mundo com boa vontade.

Após ter atingido o Nibbana, o Buddha deixou uma mensagem imortal que ainda está conosco. Atualmente somos confrontados pela terrível ameaça à paz mundial. Em nenhum momento da história do mundo Sua mensagem foi mais necessária que agora.

O Buddha nasceu para dissipar a escuridão da ignorância e mostrar ao mundo como ser livre do sofrimento e da doença, decadência e morte e todas as preocupações e misérias dos seres vivos.

De acordo com algumas crenças, um certo deus aparecerá nesse mundo, de tempos em tempos, para destruir as pessoas más e proteger as boas. O Buddha não veio a esse mundo para destruir as pessoas más, mas para mostrar a elas o caminho correto.

Na história do mundo, alguma vez já ouvimos falar de qualquer professor religioso tão repleto de tal compaixão abrangente e amor pela humanidade sofrente como foi o Buddha? Já ouvimos falar de alguns homens sábios na Grécia: Sócrates, Platão e Aristóteles e muitos outros que viveram na mesma época do Buddha. Mas eles eram apenas filósofos, grandes pensadores e buscadores da verdade; faltava-lhes qualquer amor inspirador pela multidão sofredora.

O modo do Buddha para libertar a humanidade foi ensiná-la como encontrar a completa liberdade em relação ao sofrimento físico e mental. Ele não estava interessado em aliviar alguns poucos casos de desconforto físico ou mental. Ele estava mais ocupado com o revelar um Caminho no qual todas as pessoas pudessem andar.

Tomemos todos os filósofos, psicólogos, pensadores, cientistas, racionalistas, trabalhadores sociais, reformadores e outros professores religiosos e comparemos, com uma mente sem preconceitos, sua grandeza, suas virtudes, serviços e sabedoria com as virtudes do Buddha de compaixão e Iluminação. Não é difícil entender onde o Buddha se encontra dentre todos esses grandes intelectuais.

Anúncios

Um comentário em “A Obra do Buddha

    Celso Carrera disse:
    2 agosto, 2011 às 2:54 pm

    Vou compartilhar, esse texto serviu para mim e servirá para muitos.

    Celso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s