Anatta: O Ensinamento da Não-Alma – 4

Postado em Atualizado em

A crença na Alma ou Self e no Deus Criador é tão fortemente enraizada nas mentes de muitas pessoas que elas não podem imaginar porque o Buddha não aceitou esses dois conceitos que são indispensáveis em muitas religiões. De fato, algumas pessoas ficam chocadas ou nervosas e emotivas quando escutam que o Buddha rejeitou esses dois conceitos. Essa é a razão principal porque para muitos acadêmicos e psicólogos imparciais o Buddhismo é único quando comparado a outras religiões. Ao mesmo tempo, alguns outros acadêmicos que apreciam os vários outros aspectos do Buddhismo estão convencidos de que o Buddhismo ficaria mais rico se deliberadamente reinterpretasse a palavra ‘atta’, de maneira a introduzir o conceito de Alma e Self no Buddhismo. O Buddha estava consciente dessa insatisfação da humanidade e da turbulência conceitual com relação a essa crença.

Todas as coisas condicionadas são impermanentes,
Todas as coisas condicionadas são Dukkha-Sofrimento,
Todas as coisas condicionadas ou não (dhamma) são sem alma ou sem self.
(Dhammapada 277, 278, 279)

Há uma parábola em nossos textos buddhistas com relação à crença numa alma eterna. Um homem, que se iludiu tomando uma corda por uma cobra, ficou apavorado pelo medo em sua mente. Quando descobriu que era somente um pedaço de corda, seu medo se dissipou e sua mente ficou pacífica. A crença numa alma eterna é igualada à corda – uma imaginação do homem.

6 comentários em “Anatta: O Ensinamento da Não-Alma – 4

    Rarysh Costa SOuza disse:
    9 julho, 2010 às 9:57 pm

    Olá,
    Você escreveu Self, não deveria escrever Ego para ficar mais traduzido?
    Com metta,

    dhanapala respondido:
    9 julho, 2010 às 10:02 pm

    “Self” tem um uso aceito dentro da psicologia, incluindo em língua portuguesa. E ego tem conotações diferentes daquilo que o Buddha designava como ‘atta’.

    Índice « No Que Os Buddhistas Acreditam disse:
    28 setembro, 2010 às 10:31 am

    […] « O Buddhismo é similar a outros ensinamentos contemporâneos da Índia? Anatta: O Ensinamento da Não-Alma – 4 […]

    Eliane disse:
    20 dezembro, 2010 às 7:49 pm

    …Acontece que somos tão apegados aos agregados, que não compreendendo achamos uma maneira de nos sentir importantes. Nos apegamos ao self, para não nos sentirmos insignificantes…

    Gilson disse:
    20 maio, 2011 às 10:13 am

    Eu não acredito que o Buddha tivesse negado o Atman das Escrituras Védicas. A idéia do “Eu Sou” está presente em todas as Tradições, desde o Hinduísmo ao Cristianismo Esotérico. A meu ver o “Eu” que o Buddha afirma ser ilusório é a Personalidade Terrestre. Eu considero horrível, em termos de Espiritualidade, trabalhar com negações como “não-eu” ou “não-alma” ou “não-mente”.

    William disse:
    18 abril, 2013 às 8:41 am

    Que todos os seres, assim como você Gilson, possam se dar o presente de apenas sentar e observar, sem se identificar, os pensamentos e enxergar que não há eu.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s