O Buddhismo é uma teoria ou uma filosofia? – 2

Postado em Atualizado em

A salvação no Buddhismo é uma tarefa individual. É preciso se salvar da mesma forma como é preciso comer, beber e dormir. O conselho dado pelo Buddha aponta para o Caminho da libertação; mas Seu conselho nunca teve a intenção de ser tomado como uma teoria ou filosofia. Quando foi questionado sobre qual teoria Ele propunha, o Buddha respondeu que não pregava teorias e que qualquer coisa que Ele pregava era o resultado de Sua própria experiência. Assim, Seu Ensinamento não oferece nenhuma teoria. Uma teoria não pode aproximar ninguém da perfeição espiritual. Teorias são os próprios grilhões que prendem a mente e impedem o progresso espiritual. As filosofias indianas e chinesas se originaram de crenças religiosas, enquanto que outras religiões não são baseadas em filosofia, mas em dogma. O Buddha, entretanto, nos ensinou a ver as coisas como elas são, observando os fenômenos e não confiando em nada que não possa ser experienciado por cada indivíduo.

Teorias são produtos do intelecto e o Buddha compreendeu as limitações do intelecto humano. Ele ensinou que a iluminação não é um produto do mero intelecto. Não é possível atingir a emancipação seguindo uma via intelectual. Essa declaração pode parecer irracional, mas é verdadeira. Os intelectuais tendem a gastar muito de seu valioso tempo no estudo, análises críticas e debates. Isso é um desequilíbrio, pois usualmente têm muito pouco ou nenhum tempo para a prática.

Um grande pensador (filósofo, cientista, metafísico, etc) pode também se tornar um tolo inteligente. Ele pode ser um gigante intelectual dotado com o poder de conceber rapidamente idéias e expressar seus pensamentos claramente. Mas se não presta atenção às suas ações e conseqüências, e se apenas se inclina a satisfazer seus próprios desejos e inclinações a qualquer custo, de acordo com o Buddha, ele é um intelectual tolo, um homem de sabedoria inferior, ainda que rico em conhecimentos factuais. Tal pessoa irá de fato impedir seu próprio progresso espiritual.

O Ensinamento do Buddha contém sabedoria prática que não pode ser limitada a teoria ou filosofia, porque filosofia trata principalmente de conhecimento, mas não se preocupa em traduzir o conhecimento em práticas para o dia-a-dia.

O Buddhismo coloca uma ênfase especial na prática e na realização. O filósofo vê as misérias e desapontamentos da vida mas, ao contrário do Buddha, ele não oferece solução prática para superar as frustrações que são parte da natureza insatisfatória da vida. O filósofo meramente empurra seus pensamentos para becos sem saída. A filosofia é útil porque enriquece nossa imaginação intelectual e diminui a certeza dogmática que fecha a mente para um progresso adiante. Nesse contexto, o Buddhismo valoriza a filosofia, mas a filosofia fracassa em saciar a sede espiritual. Filosofia é conhecer, mas Buddhismo é praticar.

Um comentário em “O Buddhismo é uma teoria ou uma filosofia? – 2

    […] O Buddhismo é uma teoria ou uma filosofia? – 2 […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s