O Buddhismo é Pessimista? – 2

Postado em Atualizado em

O Buddha nunca quis que Seus seguidores constantemente se lamentassem com relação ao sofrimento da vida, levando uma existência miserável e infeliz. Ele ensinou o fato do sofrimento apenas para poder mostrar às pessoas como superar este sofrimento e seguir na direção da felicidade. Para se tornar uma pessoa iluminada, é preciso ter alegria, um dos fatores que o Buddha recomendou para cultivarmos. A alegria não é nada pessimista.

Há dois textos buddhistas chamados de Theragatha e Therigatha que estão repletos de expressões de alegria proferidas pelos discípulos do Buddha, tanto mulheres como homens, que encontraram paz e felicidade na vida por meio de Seu Ensinamento. O rei de Kosala, certa vez, disse ao Buddha que, ao contrário de muitos discípulos de outros sistemas religiosos que pareciam doentes, rudes, pálidos, emaciados e desagradáveis, Seus discípulos eram ‘alegres e animados, jubilantes e exultantes, desfrutando da vida espiritual, serenos, pacíficos e vivendo com uma mente de gazela, com o coração leve’. O rei acrescentou que ele acreditava que esta disposição saudável se devia ao fato de que ‘tais veneráveis certamente compreenderam o grande e completo significado dos Ensinamentos do Bem-Aventurado’ (Majjhima Nikaya).

Quando perguntado porque Seus discípulos, os quais viviam uma vida simples e quieta com apenas uma refeição ao dia, eram tão radiantes, o Buddha respondeu: ‘Eles não se arrependem do passado, nem anseiam quanto ao futuro. Eles vivem no presente com contentamento. Portanto vivem radiantes. Afligindo-se pelo futuro e arrependendo-se do passado, os tolos ficam secos como a grama verde que foi cortada (e jaz ao sol)’ (Samyutta Nikaya).

Enquanto religião, o Buddhismo ensina sobre a natureza insatisfatória de todas as coisas neste mundo. Ainda assim, não se pode simplesmente classificar o Buddhismo como uma religião pessimista, pois também nos ensina a superar esta insatisfatoriedade. De acordo com o Buddha, mesmo o maior dos pecadores, depois de ter pago pelo que fez, pode atingir a salvação. O Buddhismo oferece a cada ser humano a esperança de um dia atingir sua salvação. Outras religiões, no entanto, tomam por certo que algumas pessoas serão más para sempre e terão um inferno eterno esperando por elas. A esse respeito, tais religiões são mais pessimistas. Os buddhistas negam tal crença.

O Buddhismo não é nem otimista nem pessimista. Ele não encoraja os seres humanos a olharem para o mundo por meio de seus sentimentos mutáveis de otimismo e pessimismo. Ao invés disso, o Buddhismo nos encoraja a sermos realistas: devemos aprender a ver as coisas como realmente são.

Um comentário em “O Buddhismo é Pessimista? – 2

    Equilibre com um sorriso | My great WordPress blog disse:
    28 abril, 2014 às 3:43 pm

    […] O Buddhismo é Pessimista? – 2 […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s