Dhamma e Vinaya

Postado em

Muitas pessoas ainda não perceberam que o Dhamma, a Verdade exposta pelo Buddha, não é mutável sob qualquer circunstância. Certas regras do Vinaya também estão incluídas na mesma categoria e não são sujeitas à mudança. Mas algumas outras regras do Vinaya estão sujeitas à mudança de forma a impedir algumas inconveniências desnecessárias. Dhamma e Vinaya não são a mesma coisa. Alguns monges tentam observar certas tradições rigidamente como se fossem importantes princípios religiosos, embora outros não consigam encontrar qualquer significado ou implicação religiosa em suas práticas. Ao mesmo tempo, algumas pessoas egoístas e astutas podem até mesmo tentar manter certas manifestações exteriores de pureza, de forma a desviar os devotos inocentes de maneira a considerá-los como monges pios e sinceros. Muitas das práticas chamadas de buddhistas nos países asiáticos, as quais monges e outros seguem, não são necessariamente preceitos religiosos mas costumes tradicionais mantidos pelo povo da época. Por outro lado, certos costumes introduzidos por monges como formas de disciplina verdadeiramente ajudam a manter a dignidade e a serenidade de toda Ordem sagrada. Apesar das tradições e costumes religiosos poderem criar uma atmosfera amigável para o desenvolvimento espiritual, algumas regras do Vinaya precisam ser modificadas de acordo com a mudança das condições sociais. Se isso não for feito, monges terão que enfrentar numerosos problemas em seu contato com o público na sociedade moderna e na sua forma de vida pois são ridículas aos olhos do público.

Alguns leigos criticam os monges por tocarem em dinheiro. É difícil prosseguir nas atividades religiosas e ser ativo na sociedade moderna sem lidar com dinheiro. O que um monge deve fazer é não estar apegado ao dinheiro ou à propriedade como sendo uma posse pessoal. Isso é o que o Buddha queria dizer. É claro que pode haver alguns que deliberadamente interpretem mal as regras a fim de terem ganhos materiais. Eles terão que suportar as conseqüências de enfrentarem dificuldades em seu desenvolvimento espiritual.

É claro que aqueles que escolherem se confinar a uma área isolada para meditação a fim de conquistarem a paz mental, deveriam ser capaz de prosseguir em suas obrigações religiosas sem os obstáculos das preocupações mundanas, as quais podem se tornar uma pesada carga. Mas devem primeiramente se assegurar de que já possuem sustentadores suficientes para atender suas necessidades básicas, como alimento, abrigo e medicamentos. Enquanto que pode haver tais monges que desejem se retirar completamente da sociedade deve igualmente haver monges suficientes na sociedade para atender as numerosas necessidades religiosas do público em geral. Do contrário, as pessoas poderiam concluir que o Buddhismo não tem muito a contribuir em suas vidas diárias e em seu bem-estar.

Um comentário em “Dhamma e Vinaya

    nodege a. mesquita disse:
    21 fevereiro, 2010 às 11:19 am

    no sermao da montanha,os apóstolos intentaran deixar claro esta questao do perigo do apego,mais nao foram felizes com as interpretaçoes que se fazem desta lógica.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s