Cinco Preceitos

Postado em Atualizado em

A moralidade buddhista laica é corporificada nos Cinco Preceitos, os quais podem ser considerados em dois níveis. Primeiramente, capacitam as pessoas a viverem juntas em comunidades civilizadas, com confiança e respeito mútuos. Em segundo lugar, consistem no ponto inicial para a jornada espiritual em direção à Libertação. Diferente de mandamentos, que supostamente são leis divinas impostas às pessoas, os preceitos são aceitos voluntariamente, especialmente quando percebem a utilidade em adotar algumas regras de treinamento para a disciplina do corpo, fala e mente. O entendimento, ao invés do medo da punição, é a razão para seguir os preceitos. Bons buddhistas deveriam se lembrar de seguir os Cinco Preceitos diariamente. São eles:

Tomar o preceito de treinamento em evitar:

1. matar criaturas vivas
2. tomar o que não me é dado
3. conduta sexual inapropriada
4. linguagem falsa
5. tomar drogas e bebidas intoxicantes.

Ao invés de compreender os Cinco Preceitos meramente como um conjunto de regras de abstinência, os buddhistas deveriam se lembrar de que através dos preceitos eles praticam os Cinco Enobrecedores também. Enquanto os Cinco Preceitos dizem o que não fazer, os Cinco Enobrecedores dizem quais qualidades devem ser cultivadas, a saber, bondade amorosa, renúncia, contentamento, veracidade e vigilância. Quando as pessoas observam o Primeiro Preceito de não matar, elas controlam seu ódio e cultivam a bondade amorosa. No Segundo Preceito, elas controlam sua ganância e cultivam sua renúncia ou não apego. Elas controlam a paixão sensual e cultivam seu contentamento no Terceiro Preceito. No Quarto Preceito, elas se abstêm da linguagem falsa e cultivam a veracidade, enquanto se abstêm do excitamento mental insalubre e desenvolvem a vigilância através do Quinto Preceito. Dessa forma, ao entenderem os enobrecedores, elas compreendem que a observância dos Cinco Preceitos não lhes influencia em se tornarem reclusas, críticas de si mesmas e negativas, mas terem uma personalidade cheia de amor e cuidado, juntamente com outras qualidades que nascem naqueles que levam uma vida moral.

Os preceitos formam a base prática no Buddhismo. O propósito é eliminar as paixões grosseiras que se expressam por meio de pensamentos, palavras e ações. Os preceitos são também uma base indispensável para as pessoas que desejam cultivar suas mentes. Sem algum código moral básico, o poder da meditação pode frequentemente ser aplicado para fins errôneos e egoístas.

4 comentários em “Cinco Preceitos

    Maria Barros disse:
    28 outubro, 2009 às 2:33 am

    Qual a terminologia adequada para ensinar os 5 preceitos a crianças pequenas? Obrigada. Consuelo

    dhanapala respondido:
    28 outubro, 2009 às 9:00 am

    Cada um dos preceitos, Consuelo, pode ser visto como uma afirmação da vida, por ex. não matar é cuidar da vida em todos os seus aspectos, não roubar é valorizar a propriedade, pensamentos, etc, dos outros. Então vc pode fazer várias adaptações conforme a idade das crianças em questão. Sempre de forma lúdica e interessante!

    nodege a. mesquita disse:
    21 fevereiro, 2010 às 11:11 am

    em esse artigo faltou claridade,tao necessaria e importante do budismo.

    5 ações para não causar sofrimento | Sobre Budismo disse:
    24 fevereiro, 2014 às 8:45 am

    […] Fundação Moral para a Humanidade Os Cinco Preceitos O modo de vida buddhista para os laicos Ética buddhista para o mundo moderno A moral buddhista é […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s