Consultando Médiuns

Postado em

Consultar médiuns não é uma prática buddhista: é apenas uma crença costumeira e psicológica.

Em muitos países as pessoas buscam conselho e orientação de médiuns a fim de superar seus problemas em situações que consideram além de sua compreensão.

A ajuda de um médium é buscada de muitas formas e por várias razões. Em períodos de doença, quando a ajuda médica é aparentemente ineficiente, algumas pessoas podem se tornar desesperadas e se voltar para qualquer lugar em busca de consolo. Nesses períodos, os médiuns são freqüentemente consultados. Algumas pessoas também se voltam para médiuns quando enfrentam um problema complexo e são incapazes de encontrar uma solução aceitável. Outros consultam médiuns devido à ganância a fim de enriquecerem rapidamente.

Algumas pessoas acreditam que quando um médium está em um transe, o espírito de um certo deus ou divindade se comunica através do médium, oferecendo conselho ou orientação para aqueles que procuram por ajuda. Outros acreditam que o estado de transe é obra da mente subconsciente que aflora e toma posse da mente consciente.

Consultar médiuns é uma prática muito comum entre o público. A atitude buddhista quanto a consultar médiuns é a de neutralidade. É difícil verificar se aquilo que o médium diz é correto ou não. A prática de consultar médiuns não é uma prática buddhista; é apenas uma prática costumeira.

Consultar médiuns destina-se a ganhos materiais mundanos; o Ensinamento do Buddha é para o desenvolvimento espiritual. Entretanto, se uma pessoa acredita que aquilo que o médium diz é verdade, então não há razão para buddhistas se oporem a tais práticas.

Se uma pessoa realmente compreende e pratica os Ensinamentos do Buddha, ela pode compreender a natureza de seus problemas. Ela pode superar seus próprios problemas sem consultar nenhum médium.

Anúncios

7 comentários em “Consultando Médiuns

    José disse:
    13 novembro, 2006 às 12:38 pm

    O caro irmão deve ter mais cuidado com que o afirma, ainda por cima num asituação como a internet, onde milhares de pessoas podem ser negativamente influinciadas.
    A mediuniade é fruto de desenvolvimento espiritual e a Vida de Buda está repleta de fenóme nos mediúnicos como visão de espiritos do mal (senhores do Karma), conversas com Devas (seres espirituais), espisódios de vidência, etc.
    Por exemplo o Reiki com origem no budismo é uma mediunidade de cura em que a pessoa canaliza energias para ajudar outra pessoa.

    É bom que de facto todos tenham a possibilidade de dar a sua opinião. No entanto,com tanta informação disponível actualmente, há erros que já não são muito compreensíveis.

    dhanapala respondido:
    14 novembro, 2006 às 12:28 pm

    Caro José, bom dia.

    Creio que você não deve ter lido a página inteira antes de deixar este comentário acima. Você escreve como se eu tivesse escrito a página, quando, como está exposto, esses são os escritos de um monge buddhista, já falecido. Qualquer reclamação ou pedido de cuidado deveria ser dirigido a ele.

    Agora, o site é sobre a opinião buddhista a respeito de uma série de assuntos. A opinião buddhista é essa declarada. Se os espíritas começarem a deixar comentários em sites buddhistas e os buddhistas começarem a deixar comentários em páginas de sites espíritas, não creio que isso levará a um bom fim. E, diga-se de passagem, os buddhistas teriam inúmeras razões para deixar comentários em sites espíritas pois no que concerne o conhecimento sobre o Buddhismo, há inúmeros erros.

    Um exemplo disso é quando você mesmo diz que a vida do Buddha está repleta de fenômenos mediúnicos. Isso é a “interpretação” espírita, e absolutamente não a buddhista. Se os espíritas e médiuns querem interpretar fatos da vida do Buddha como sustentando suas próprias doutrinas, isso é um direito que lhes cabe. Afirmar que essa forma é “a” forma que o Buddhismo sustenta, é coisa bem diferente. Ou que o reiki é uma mediunidade de cura e esteja ligado ao Buddhismo também é uma opinião sua e de outros, mas não do Buddhismo. Como você que escreve está vivo e não falecido como o autor dos escritos do site, então cabe com mais propriedade eu aconselhá-lo: o “caro irmão deve ter mais cuidado com que o afirma”.

    Aliás, a opinião do autor não é sobre o espiritismo, mas sobre a mediuinidade. Essa é a opinião do autor e do Buddhismo. E como está claramente colocado, as pessoas têm liberdade para escolherem o que querem acreditar. Só não devemos admitir que se passe como Buddhismo uma opinião que não é.

    CHARLES WATERS disse:
    17 dezembro, 2006 às 9:03 am

    sobre essa questão de meiunidade concordo com a opinião do praticante acima, queria também deixar uma dúvida, uma pessoa pode praticar o Dharma e ser medio, eu acredito que nem todos tem essa capacidade ou pelo menos não é tão aberto a isso, então para que tem seria possivel fz isso e praticar o Dharma, obrigado pela resposta

    leandro disse:
    21 junho, 2007 às 11:00 am

    “Se uma pessoa realmente compreende e pratica os Ensinamentos do Buddha, ela pode compreender a natureza de seus problemas. Ela pode superar seus próprios problemas sem consultar nenhum médium”

    Esse trecho mostra o que considero como a sintese do ensinamento, devemos procurar ao maximo resolver nossos problemas e não recorrer a tudo por fatores sobrenaturais.
    gashô

    Rosana disse:
    6 novembro, 2011 às 10:41 am

    Como reikiana eu posso dizer que o reiki é uma técnica, onde através da imposição das mãos se conduz a energia vital universal para o ser que está disposto a receber e usufruir dessa energia. Não aprendi esta técnica no budhismo, apesar de ser uma praticante budhista, e nem no espiritismo. É uma técnica que se originou no Japão, mas que não tem o domínio de nenhuma religião e também não tem nenhuma conotação esotérica ou milagrosa. O que existe é muita confusão e uso inadequado da prática do reiki, assim como acontece com tantas outras práticas espirituais.

    Gasshô
    Rosana.

    Carlos ferreira disse:
    8 novembro, 2013 às 9:15 am

    O que será o Oráculo do Dalai- Lama ?!

    Juju disse:
    30 dezembro, 2015 às 12:01 pm

    senti uma imensa benevolência nas palavras do autor do texto… como de alguém que não julga pois atingiu um imenso e vasto estado de vida! quanta compreensão em suas palavras… teria alguma referência literária sobre o tema, pois é muito interessante.. obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s